Perguntas Frequentes

Perguntas-frequentes













Quanto vou ganhar com o meu livro?
O principal objectivo de autores emergentes é verem a sua obra publicada e escreverem por prazer. Obviamente, merecem receber por isso. Enquanto que, numa editora tradicional, só irão recebe entre 10 a 12% (após cerca de seis meses), com o valor a variar consoante o número de exemplares. 
Mas, recorrendo ao método de autopublicação e print on demand (desde que não perca dinheiro em investimentos numa editora mafiosa), poderá ganhar mais… Isto é, se se autopublicar e colocar o livro numa plataforma print on demand (como a Smashwords, a Amazon e outras). Dependendo das condições desse serviço, poderá ganhar comissões de 70% ou 90%.           
A Amazon paga até 75% (com regime de exclusividade) e 30% sem exclusividade. Todos os meses irá receber o pagamento das suas comissões, via Paypal ou transferência bancária.
Os ganhos dependem de quantos exemplares forem comprados, obviamente.                      
Se vender apenas 1 ou 2 livros por mês, ganha menos. Se tiver 4 ou mais títulos à venda, aumenta exponencialmente os seus ganhos.
Aconselho a escrever mais do que um livro, a apresentá-los em vários formatos (impresso, eBook, MOBI para Kindle). E, se possível, em vários idiomas.



Os meus direitos de autor estão protegidos?
Recomendo proteger a sua obra antes de enviá-la a qualquer editora, por precaução. Em Portugal, a entidade que trata de registo de obras é a IGAC (Inspecção Geral das Actividades Culturais). 
Porém, o preço aumentou. Antes, o registo de cada obra custava 30€, agora são 60€. Mas digo-lhe: o registo na IGAC não é obrigatório. O seu livro pode ser registado em serviços online gratuitos, ou mesmo numa plataforma POD. Recebe um comprovativo em como registou o livro e é o autor da obra. Um livro, depois de impresso em papel, é uma prova da sua autoria, perante a lei.




Qual é a melhor forma de publicar o meu livro?
As opiniões podem divergir. A minha recomendação é optar pela autopublicação, mas de forma cuidada, que explicarei mais à frente.
O método tradicional, há alguns anos, seria enviar o seu original para avaliação a diversas editoras. Contudo, elas recebem milhares de livros para análise e podem demorar 7 meses a um ano a dar-lhe alguma resposta. As hipóteses do seu livro ser aceite são bastante reduzidas. Isto não significa que tenha pouca qualidade. Mas as editoras recebem milhares de livros para análise. Além disso, arriscam pouco em jovens autores (desconhecidos, sem público), desconhecendo se o livro vingará no mercado. Por vezes, optam pelo método mais fácil: traduzir para português um bestseller de outro país.
Tenha cuidado ao enviar o seu original a “editoras” virtuais de autopublicação. 
Existem muitos tubarões a surgir neste ramo. Cobram um pacote de 1000 ou 1200€. Com esse dinheiro, contratam uma gráfica e mandam imprimir 50 ou 60 exemplares (print on demand, com maiores quantidades para ter rentabilidade). Depois é você quem terá de vendê-los porta a porta, ou aos amigos e familiares, para recuperar o investimento.         
Ou seja, faz stock, investiu e tem riscos.
Aconselho imprimir o seu livro em plataformas print on demand, em que paga apenas pela impressão e portes de envio de um único exemplar, se desejar. Caso tenha o livro pronto (bem escrito, com capa criada) não necessita de nada mais, apenas fazer upload e imprimir. Se necessitar de revisão de textos, design de capa, etc., existem serviços honestos e acessíveis como o meu: Sílvio Webdesign.
Com 60 ou 100€, consoante o que necessitar, tem o seu livro pronto e com capa. Bastante diferente de uma situação onde investe 1200€ e fica com uma caixa de livros para vender.



Publiquei o meu livro. E agora?
Um livro é um produto que terá de promover, certo? O marketing é muito importante. Promova o livro de todas as formas que imaginar. Faça um blog com textos seus e divulgue o livro aos seus leitores, ou uma pequena amostra (de 20 a 30 páginas, por exemplo). Faça o mesmo no Facebook. Crie um videoclip promocional e coloque no YouTube. Divulgue o seu livro em newsletters ou no rodapé do email. Ofereça um original do seu livro à Biblioteca Municipal da sua cidade. 
É sempre positivo.                
Os leitores, caso gostem, procurarão por outros livros seus na internet.
Contacte a rádio local, da sua cidade, e pergunte se pode divulgar o seu livro.                        
Por norma, as rádios dizem sempre que sim, gostam de divulgar novos talentos da sua própria cidade. Pode fazer o mesmo junto de uma Biblioteca Municipal ou Centro de Artes, a fim de promover o seu livro e dar autógrafos. Não irão cobrá-lo por isso.
Divulgue amostras do seu livro (com vinte ou trinta páginas) em plataformas como Issuu, Wattpad, entre outras. Isso dará aos leitores um “gostinho”. Caso gostem, comprarão o livro completo na internet.
Se tiver mais do que um livro, utilize a última página para fazer referência ao título das outras obras. Ou seja, fará publicidade interna dentro do livro.

Crie um anúncio no Facebook, a rede social mais utilizada no mundo. Vejo regularmente anúncios de variados produtos e alguns têm milhares de comentários.
Posted by R.O, On março 07, 2019

Conversão para Amazon

Conversão para Amazon

















Formatar um livro para Amazon tem custos, pode variar consoante o número de páginas e imagens internas, rondando os 35 ou 40 euros.
O formato não convém ser EPUB nem PDF, mas, sim, MOBI, compatível com aparelhos ou aplicação Kindle, com menu e índice clicável, interactivo, e com medidas diferentes.

Cuidado com conversões feitas por maus profissionais ou por softwares gratuitos, não ficam com qualidade nem com Índice clicável (interactivo)..
 Amazon tem padrões de exigência, pelo que, se as imagens tiverem qualidade baixa (menos de 300dpi) e o índice não for clicável, eles podem rejeitar o livro.
A Amazon detém 70% do mercado de vendas de livros internacionalmente, é portanto significativo.


Também converto livros para ser impressos pela Amazon (paperback).

Para estar na Amazon, um livro terá de ser convertido com novas medidas e ter a capa redesenhada também com novas dimensões (diferentes do A5, por exemplo 5,12”x8,25” que são 13x20cm), já que os EUA não utilizam tamanhos de papel segundo a norma ISSO 2016. E o formato Mobi terá Índice interactivo. Uma conversão deste género ronda os 30€ a 40€.

Algumas editoras “virtuais” fazem um truque: listam o seu livro na Amazon, mas ele é impresso por alguma outra gráfica print-on-demand. A Amazon  apenas o lista.              
Quem comprar o livro, irá recebê-lo mais tarde (pode chegar a dez dias ou mais), pois ele será impresso por uma gráfica terceirizada. Isto, encarece o livro e provoca atrasos na entrega. 
Poucas pessoas irão comprá-lo. É totalmente diferente quando o livro está em formato digital na Amazon, ficando a própria encarregada de o imprimir e distribuir aquando de uma compra.






















































Índice interactivo
Posted by R.O, On março 05, 2019

Dicas para novos autores

Dicas para autores


















O mundo editorial está em mudança. Novos autores tornam-se publicadores, produtores e designers, a auto publicação é o futuro. As vendas online aumentam, e cada vez mais pessoas leem livros no computador ou tablet. Livros digitais ficam disponíveis para sempre e a qualquer momento se imprime um exemplar para envio (POD - print on demand) sem necessidade de fazer stock de milhares de exemplares.

Antigamente, um autor era passivo, necessitava de enviar o manuscrito à editora, mas, hoje em dia, um autor é activo e criativo, produz a obra, desenha a própria capa e formata o livro pronto para impressão numa plataforma online, enquanto que as editoras ficam com um papel secundário.



Dicas para autores emergentes:

Antes de publicar o seu livro, teste-o. Distribua algumas cópias do documento Word a amigos e familiares, e pergunte-lhes as opiniões. Afinal, eles são leitores. Assim, faz uma sondagem ao seu público. Se necessário, faça alterações e melhorias ao livro, releia uma segunda ou terceira vez, e só depois publique.
Vários autores começam por ser bloggers. Um blog é um tipo de diário ou jornal online onde o autor escreve textos, pensamentos, e os leitores interagem e postam comentários. Então, quando o autor/blogger lança um livro, ele já possui um público fiel e espaço onde divulgar o livro (blog). 
Se não tem um blog, comece hoje mesmo.
Ofereça amostras grátis do seu livro (por exemplo, 20 a 30 páginas) para download. 
Existem plataformas para isso mesmo, como o Wattpad, PDF Drive ou Issuu.
Uma outra dica é fazer promoção a outros livros, dentro do seu próprio livro. 
Nos meus livros, em alguns parágrafos, eu deixo a sugestão ao leitor: “Leia o meu outro livro: título”, e deixo links para os meus sites na última página.



Vantagens e desvantagens de uma editora convencional:
Uma editora dá mais destaque e protagonismo, e coloca o seu livro nas livrarias do país. Porém, existem desvantagens também. Você ganha uma comissão dos direitos autorais que varia entre 10 a 11% e recebe após seis meses ou um ano. Mas o livro não dura para sempre nas livrarias. 
Após um ou dois anos, se não for reeditado, as vendas terminam, e a editora pode alegar que as livrarias devolveram alguns exemplares ou que as vendas caíram, não reeditando o livro. 
Livros físicos são limitados ao número de exemplares, por isso, se publicaram três mil livros, por exemplo, um dia estes acabarão.

Porém, numa plataforma online POD (print on demand) como a Amazon, o seu livro dura para sempre, existe uma cópia digital e eles imprimem consoante vão surgindo encomendas, sem necessidade de stock. Cada vez que um utilizador compra o livro, eles imprimem e enviam para casa. E, se for em formato e-book (EPUB ou MOBI), os clientes fazem download e leem no Kindle
O seu livro dura para a eternidade e as comissões também.



















Não se limite a vender o seu livro apenas numa plataforma (Amazon ou CreateSpace, por exemplo), venda-o na maior variedade de plataformas possível, seja Amazon, Kobo, Barnes & Noble, Smashwords, Escrytos ou até mesmo no eBay.




Coloque algumas imagens ou ilustrações de tantos em tantos parágrafos, para fazer o leitor pensar ou distrair-lhe um pouco. Assim, a escrita não fica tão cansativa. Centenas de páginas só de texto torna-se monótono.



Crie uma versão áudio (audiolivro).
Embora existam softwares que convertem texto para áudio (como o balabolka), não aconselho. 
O software não reconhece certas expressões, nem criará uma conversa áudio fluída e legível. Além disso, a “voz” é robotizada. Softwares com voz quase humana são demasiado caros (acima dos 300€). Assim, recomendo uma voz humana real (de uma pessoa).
Os profissionais que gravam voice over custam muito dinheiro. Alguns cobram 40€ por cada meia hora de gravação e um livro demora muitas horas a ser lido. Aconselho convidar um amigo(a) que esteja disposto a gravar o livro enquanto o lê. Obviamente, fazendo pausas (dividindo os vários capítulos por dias). Deverá utilizar um gravador de voz com qualidade (que grave no formato mp3 a 320kbps ou wav).

Um amigo, com vontade de ajudar, pode cobrar um preço mais acessível (por exemplo, 50 ou 60€). Ou pode sempre oferecer-lhe um jantar e o exemplar do seu livro. Estabeleçam um acordo.



Inspiração:
Nem sempre temos inspiração. Não puxe pela cabeça quando as ideias não surgem.          
A escrita poderia ficar muito forçada e sem graça. Aguarde alguns dias e, quando se sentir inspirado(a), escreva com entrega e paixão. As palavras saem até mais bonitas. 
Eu nunca tenho pressa. Escrevo um livro aos poucos, chego a fazer pausas de semanas, não tenho um prazo a cumprir. Demorei quatro anos para escrever um dos meus livros. 
Cada vez que o relia, fazia alterações, cortes, melhoramentos. Uma das ferramentas mais importantes dum escritor é o seu cérebro, a memória, a atenção. Portanto, é fundamental ter algum cuidado. Durma o número de horas suficientes, evite o stress, coma frutos secos. 
Nozes e pevides contêm zinco, ómega 3. Peixe também é uma fonte de ómega 3. Todos estes são nutrientes que fazem bem ao cérebro.
Busque inspiração em música, e em filmes relacionados ao tema seu (seja um romance, um thriller, ficção científica, ocultismo). Veja muitos filmes, por vezes proporcionam boas ideias.
Leia dicionários online ou websites de significados e sinónimos. 
Ajuda a substituir algumas palavras por outras mais atraentes, enriquecendo o vocabulário.


Não desista nunca!
Se escreveu um livro e o público não está a aderir como esperava, não desista. Escreva mais livros. 
A maioria dos escritores famosos não teve sucesso logo no início, somente após alguns anos.



De que forma alguns autores financiam a sua obra?
Alguns solicitam apoios (seja por parte de empresas, câmaras municipais, associações culturais, etc.) ou pequenos donativos, fazendo menção a essas entidades e agradecimentos no livro ou acrescentando os seus logótipos. Outros autores fazem uma poupança (pé-de-meia) durante meses. Há quem solicite um empréstimo bancário ou recorra a business angels (investidores). Enfim, as opções são enormes.                         
Outros recorrem a campanhas de crowdfunding online. Não consideramos esta última opção particularmente prática. Afinal, se o montante pré-estabelecido não for alcançado até ao prazo limite, o dinheiro é devolvido aos membros financiadores inscritos no site e todo o esforço terá sido em vão.


Truques:

Ghostwriter:                                                                                                                                  
O que é um ghostwriter (escritor fantasma)? É uma pessoa que escreve na sombra, o livro para outrem. O seu nome não surge na capa como autor do livro.                            
Muitas celebridades não têm jeito para a escrita, ou tempo livre para escreverem, mas gostariam de lançar um livro. Contratam então, um(a) ghostwriter. Alguns famosos lançam vários livros num ano (o que é suspeito, pois um livro demora meses a ser escrito e aperfeiçoado), recorrendo por isso a vários ghostwriters. Alguns desses escritores “sombra” cobram cerca de 40 dólares por página.


PLR:                                                                                                                                       
Outro truque que algumas pessoas utilizam é a compra de e-books já escritos, mas com direitos de marca própria (Private label rights). Depois, alteram somente o título do livro e alguns parágrafos. 
É uma solução white label, rebranding.                                                        
É por isso que, existem tantos livros de autoajuda e de temática esotérica, que parecem todos iguais entre si. O autor (que, na verdade, não é autor, não o escreveu, apenas comprou o e-book) nem sempre domina o assunto. Caso experimente, enviar-lhe um email com questões sobre o livro, o mais provável é não obter respostas claras.

Article rewriter:                                                                                                                         
Outros “autores”, caso não encontrem um e-book com PLR sobre o tema desejado, fazem copy+paste de vários artigos na internet. Depois, modificam alguns parágrafos ou o sentido das frases, recorrendo a softwares de reescrita (article rewriters).                      
O resultado é uma escrita, confusa, ou sem nexo, à semelhança de algumas traduções automáticas do Google tradutor.

Evite a preguiça. Algumas pessoas não têm talento ou vontade de escrever e preferem comprar livros já feitos com PLR (Private Label Rights, direitos de marca própria) e apenas mudam o título e capa. Isso seria enganar os seus leitores. Um leitor ávido que seja pesquisador do tema e leia vários livros irá perceber e dirá: “eh, pá, já li isto noutro livro, isto é uma cópia”. 

Então, perde a credibilidade, o seu livro será apenas “mais do mesmo”. Além disso, sites como a Amazon possuem algoritmos que detectam o texto desses e-books que você submete e detectam se é igual a outros. Eles costumam banir e-books, PLR e os utilizadores. Jamais conseguirá vender novamente na Amazon. Entende o risco?

Escreva conteúdos originais. O leitor, ao longo de vários livros seus, vai percebendo o seu estilo de escrita, vai ficando admirador e um dos grandes factores da venda de livros é a publicidade de boca em boca.


Considere fazer traduções do seu livro. É sempre bom para se internacionalizar e aumentar o número de potenciais clientes. Repare, se vender um livro em português, irá vender a leitores de Portugal e do Brasil, imagine, 500 livros. Mas se tiver uma versão em inglês, irá vender para Inglaterra, EUA e para outros países (pois a língua inglesa é uma língua universal). Então, poderá vender 600 ou 700 livros.
Não necessita fazer isso de uma vez, pode ser um projecto a longo prazo. Após um ano, traduz para inglês (ou paga a um tradutor) e, no ano seguinte, lança a versão em francês, por exemplo. É um investimento em si próprio, recorde-se!

Posted by R.O, On março 05, 2019

Tipos de editoras

Tipos de editoras















Editoras tradicionais:
Estas editoras irão receber o seu original para análise. A avaliação pode demorar 7 meses a um ano. Ou nem sequer irão lê-lo e responder-lhe, já que recebem milhares de originais para análise. 
Caso seja aceite, irão fazer um contrato consigo, poderão, dependendo dos termos do contrato, deter os direitos da obra por cinco anos ou mais (termos de exclusividade) e pagar-lhe 10% de royalties.   
 
Vantagens:                                                                                                                                
Você poderá ganhar mais destaque nas livrarias. As editoras ficam responsáveis pelo marketing, distribuição e riscos (custos). Poderá aumentar a sua reputação, entre outras coisas.                                                    

Desvantagens:                                                                                                                                   
É difícil para um jovem autor, sem reputação, ser aceite. Caso seja aceite e, a sua obra publicada, irá ganhar royalties reduzidas. A editora pode escolher o título e o design de capa, entre outros pormenores. Pode sugerir cortar ou modificar parágrafos do livro, perdendo assim a sua liberdade criativa. Algumas editoras enviam pagamentos (dos 10%) a cada seis meses; outras, menos honestas, dizem-lhe que não venderam quase exemplares nenhuns, ou que outros foram devolvidos pelas livrarias, inventando argumentos para não pagarem.
Há alguns anos, um autor teria mais facilidade para enviar espontaneamente a sua obra, por email, para fins avaliativos. Contudo, muitas editoras actualmente já só aceitam o seu livro se for apresentado por um agente literário contratado.


Autopublicação:                                                                                                                         
Conhecida também por co-publicação ou publicação indie. Neste caso, terá de investir na publicação e suportar os riscos financeiros (a editora arrisca zero). Muitas destas “editoras” vanity publishers, ou vanity press, não imprimem os livros, recorrendo sim a gráficas que o fazem (no Brasil, estas podem designar-se por editoras prestadoras de serviços, já nós preferimos trata-las por gráficas). Nos Estados Unidos, designam também este método por publicação empreendedora (entrepreneurial publishing). Vanity press – “vanity” significa vaidade em inglês. Estas editoras exploram assim a vaidade do criador, a necessidade de ser lido, reconhecido, amado.

Vantagens:                                                                                                                                             
O seu livro será publicado; aliás, você pagará por isso. Terá controlo total sobre a sua obra (título, capa, textos, ideias), as royalties podem chegar aos 90% e, será dono da sua criação a 100%. Se fizer uma boa pesquisa, poderá encontrar serviços editoriais acessíveis, freelancers e uma boa gráfica capaz de imprimir e distribuir a obra a preços acessíveis.

Desvantagens:                                                                                                                           
Terá de ser responsável por todo o marketing, promoção e venda do livro, embora existam plataformas online que facilitem estas tarefas. Pode acabar por cair nas garras de “editoras virtuais” que prometem mundos e fundos, mas cobram quase 2 mil euros.




Publicação híbrida (Hybrid publishing):                                                                                
É um fenómeno recente. Este termo define uma publicação “híbrida”, que mistura a publicação tradicional com a autopublicação. Uma responsabilidade “partilhada” entre autor e gráfica. Terá de investir uma parte do dinheiro para suportar a produção do seu livro. Algumas “editoras” não cobram inicialmente dinheiro, mas deduzem posteriormente as despesas das receitas de venda do seu livro.

Posted by R.O, On março 05, 2019

O que é Print on Demand

Print on demand
















O que é Print on Demand (P.O.D)?           
Print on demand (impressão sob demanda), às vezes também designada por Book-on-Demand, é um método de impressão e modelo de negócios em que as cópias de um livro (ou qualquer outro documento em formato digital) não são impressas até serem encomendadas.                                 

A impressão sob demanda foi desenvolvida com a tecnologia de 
impressão digital, que permite imprimir cópias de um livro (do formato digital para o papel) no momento em que estas forem solicitadas pelos leitores, reduzindo assim os custos com o stock de livros.



Muitas "editoras" (coloquei propositadamente entre aspas, supostas editoras sem estúdio) cobram-lhe 1000 ou 1200 euros para pagar a uma gráfica que imprime alguns exemplares e depois reenviam os mesmos para si, mas por vezes estão a enganá-lo. 

Pois recorrem igualmente a plataformas POD (print on demand), em que não era necessário um número mínimo de impressões, bastava um exemplar. Contudo, eles mandam imprimir 50 ou 60 exemplares do seu livro para obter um desconto (em grandes volumes, fica mais barato o preço de cada livro), mas cobram-lhe a si o valor normal, de 4 a 5 euros por livro. 

Entende a ilusão?

Prometem colocar o seu livro em lojas como Amazon, FNAC e outras, como se isso justificasse o dinheiro que lhe cobraram.
Eu, por exemplo, quando coloco os meus livros na plataforma POD que utilizo, eles são divulgados em dezenas de outras lojas gratuitamente, seja Amazon, Google Books, Barnes & Noble e muitas outras...A maioria de plataformas faz isso gratuitamente, portanto, se pagou uma elevada quantia de dinheiro, digo-lhe: foi enganado.
Se quiser, imprimo apenas um exemplar do meu livro. Gasto 5 euros, mais portes de envio, e ele fica automaticamente listado no Google Books, Amazon, e outros sites, gratuitamente.


Existe uma grande diferença entre ter o seu livro listado na Amazon (nos resultados) e ter o seu livro impresso e distribuído pela Amazon, uma grande diferença!

Algumas pequenas "editoras" de auto publicação de Portugal apenas listam o seu livro na Amazon, mas ele é impresso e distribuído por terceiros (outra gráfica) e isso encarece o livro e causa atrasos na entrega, pois vai uma comissão para a Amazon, outra para a gráfica e distribuidora. O livro pode custar o dobro e o tempo de entrega até duas semanas. Quem vai comprar um livro assim? 
Muito poucas pessoas.
Os meus livros, coloquei-os mesmo na Amazon (em formato e-book) e a própria Amazon imprime e distribui. Isso torna o preço mais acessível ao cliente e o tempo de entrega até uma semana. Compreende a diferença?

Muitas "editoras" vendem gato por lebre ou publicitam o que não podem cumprir a cem por cento.




ISBN:                                                                                                                                              
O International Standard Book Number, ou seja, um código único internacional que identifica o livro pelo título, autor, país de origem e editor. As editoras em Portugal obtêm um ISBN. Porém, um autor que autopublique terá de obter o ISBN através da APEL (Associação Portuguesa de Editores e Livreiros), ou outro registador, e pagar entre 15€ a 125€. 
Contudo, ao editar na gráfica britânica com a qual trabalhamos, o ISBN é atribuído gratuitamente e impresso na sua capa.
O princípio fundamental do sistema é que cada ISBN identifica um livro numa determinada edição, com todas as vantagens que daí advêm, a nível económico e cultural. Isto, facilita a recuperação e a transmissão de dados em sistemas automatizados, para fins públicos ou privados, facilitando a pesquisa e a actualização bibliográfica, bem como a interligação de bibliotecas e arquivos.

Através da maioria de editoras, terá que registar por si próprio um ISBN e pagar até 120€ (ou então eles incluem isso no pack de investimento).
Com a plataforma que trabalhamos, o ISBN é gratuito.



Posted by R.O, On março 05, 2019

Objectivo

Acerca





















O meu nome é Sílvio Guerrinha e tenho cerca de vinte anos de experiência em webdesign
Faço websites, design gráfico no Photoshop para capas de livros, flyers, logótipos, cartões-de-visita, entre outros. No ramo editorial, publiquei o meu primeiro livro em 2004 através da editora “Angelorum Novalis”, linha editorial de espiritualidade. 
















Depois entrei no ramo da auto publicação.
Conhecemos o cenário actual. 

Existem várias editoras virtuais de auto publicação (vanity publishing), que cobram preços demasiado elevados aos jovens autores.               
Desde a revisão de textos a 1€ por página ao design de capas por 150 ou 200€.                               Exigem um investimento de 2000€ para publicarem um original e pedem ao autor encomendas mínimas de 50 exemplares impressos (que este terá de vender a amigos e familiares), entre outros.

Algumas “editoras” cobram 1,90€ por página na revisão de textos. Se o seu livro tiver 200 páginas, isto significa um custo de 380€ apenas com a revisão de texto.

Conheço boas soluções P.O.D (print on demand, impressão sob demanda) que contornam estes “falcões”. E, sendo eu também jovem autor com títulos meus disponíveis em sites como a Amazon, entre outros, criei este projecto juntamente com alguns colaboradores freelancers para ajudarmos outros jovens autores a preços acessíveis.

Trabalhamos em parceria com freelancer’s na revisão de texto e construção frásica, com médias entre 50€ a 60€ (mediante o número de páginas), formatação para tamanho A5 e paginação dos livros. Fazemos design de capas profissionais (compro as imagens, você ficará com os direitos de utilização destas) a partir de 50€.  Também fazemos a conversão para e-book interactivo (Mobi/ ou ePub) para o Amazon Kindle, entre outros.


O número ISBN é gratuito e a impressão é feita em papel (sem número mínimo de exemplares). 
Pode encomendar apenas um exemplar se assim o desejar, a partir de 4€ por livro mais portes.
Venda o seu livro online, ganhe royalties até 90% (enquanto outras editoras só lhe pagam 12% do volume de vendas).

Vamos dar-lhe um exemplo. Numa dessas editoras vanity publisher, pode pagar em média 1500€ e recebe 50 exemplares. Outras cobram entre 300 a 400€ pela revisão e formatação do texto do livro, mais 200€ pela capa e 20€ por cada exemplar (impressão do livro e portes). Gastaria então cerca de 600€, mais a compra de cada livro…                    
No entanto, estas editoras não são na verdade editoras reais (não imprimem livros).             

São intermediárias e utilizam o seu dinheiro para contratarem gráficas (e ainda cobram um extra para obterem margens de lucro). Esta é a verdade e, sejamos francos, algumas destas editoras nem sequer possuem um website profissional com alojamento pago (que ronda os 12€ por ano). Têm, sim página grátis no Wix ou Weebly.


Não estou aqui para mentir a ninguém.

Tenho vinte anos de experiência em webdesign, design gráfico, edição de livros. 
Conheço as melhores gráficas P.O.D e você poderá imprimir o seu livro por um preço justo (em média até 4€ do custo de produção por livro, lucrando 90% de comissão por cada livro vendido, com ISBN gratuito).  Desenho capas profissionais com boa definição por um preço acessível (em média 50€ a 60€, em vez de cobrar 100€ ou 200€). Pode ter o seu texto revisto e a formatação do livro por um preço justo (até 55€, mediante o número de páginas). Para quê explorar as pessoas?

O meu objectivo é ajudar jovens autores.

Posted by R.O, On março 05, 2019

Serviços webdesign

Webdesign



Serviços webdesign:
Faço websites profissionais e responsivos (podem ser vistos em computadores, tablets, smartphones) adaptando-se a qualquer resolução de ecrã.
Design de logótipos.
Capas de livros.
Pequenos videoclips promocionais.
Cartões de visita, entre mais.

Serviços editoriais:
Revisão linguística.
Design de capa.
Conversão para epub ou mobi (Amazon Kindle).
Print on Demand.

A preços acessíveis.

Visite o site oficial Aqui.





Posted by R.O, On março 05, 2019